Archive for maio \23\UTC 2011|Monthly archive page

Gotcha!

.

iuhaeiuhea

pow, eu tava dirigindo na rua Treze de Maio e vi um carro da Google tirando foto de mim!

:)

Catei o cel e tirei uma foto dele tb… cacete!!!

foi embaixo do viaduto Armando Puglisi, cruzamento da Brig Luis Antonio com a Treze de Maio.

e já que o Post tem o nome de um dos filmes clássicos dos anos 80, o Gotcha! – Uma arma do barulho,  aqui vai o CD  dele pra baixar:


Essa trilha tem bandas ultra-famosas, como: Camelflage, Giuffria, Hubert Kah… iuhaeiuhea mas tb tem Joan Jett & The Blackhearts e Bronski Beat! :)

eu lembro que gostava desse filme quando era pequeno iuaheuiehuiahe

Gotcha (“te peguei” em ingles) tem esse nome ridiculo pq é sobre uns muleques nerds que brincavam de paintball na cidade, e a ideia era sempre andar “armado”, na escola, rua, trabalho e acertar outro imbecil de surpresa e gritar Gotcha!

o paintball ainda desconhecido na epoca do filme e acho que ele ajudou a popularizar…  todo muleque sonhava em ter uma arma dessas uiaheuihea

(clique na capa do “filmão” pra baixar a trilha sonora de Gotcha!)

Dificultar é proibir!

.

De novo e na sequência, vou ter que postar sobre outra entrevista que saiu na Ilustrada dia 19/04/11…

Não que eu fique babando pela Folha de SP, mas ou é coincidencia ou realmente tão mandando bem em algumas entrevistas nesse caderno.

Lêdo Ivo

.

.

pra quem não conhece, Lêdo Ivo é um imortal da Academia Brasileira de Letras. Eu ateh pediria perdão a eles por escrever errado e sem acento, mas veja bem… Sarney e Paulo Coelho nas cadeiras da ABL nao da, né?

.

“Se eu quiser publicar uma foto do Barack Obama, eu posso. Do [Manuel] Bandeira, eu tenho que pagar”

(sobre ser impedido de usar alguma foto de Manuel Bandeira na sua biografia, que foi amigo dele por muitos anos, pelo sobrinho-neto de Bandeira)

e depois:

Ele foi meu amigo durante 30 anos e o curioso é que nunca conheci nenhum parente dele. Fomos vizinhos em Teresópolis, e nunca apareceu ninguém.”

Não sou fã nem leitor do Ivo, mesmo porque não sei muito sobre ele.  Mas sei que é uma pessoa que não se cansa por pensar e é razoavelmente preocupado com o coletivo. Além de ver as questões do mundo com muita clareza e saber ser crítico no que importa, tem um certo humor e ironia em suas análises.

outros trechos da entrevista:
(vc pode baixar ela inteira aqui)

“Acho que só deveriam herdar os descendentes diretos. Se o escritor tivesse filhos, os filhos herdariam.”

“O senhor acha que a lei deveria mudar?
Acho que é preciso uma legislação moderna que discipline tudo isso. Por que eu devo pagar à família por fotos em que estou ao lado do Bandeira? Você recebe cartas, mas não é dono destas, elas pertencem à família. É uma legislação maluca.”

“(…)Outro problema é o da biografia. (…)
Acho que a família não quer que estes fatos venham à público. Mas é um negócio de louco. Uma biografia autorizada não é uma biografia, pois atende às conveniências da família. E a verdadeira biografia, que poderia servir à compreensão do leitor, está proibida no Brasil.”

Direitos Autorais

É isso! Tem que rolar uma revolução nos Direitos Autorais no Brasil!

Algo que permita citações, colagens, remixes, referências, interpretações, biografias, documentários!

Esse mix é a alma do Brasil: Direitos Autorais Antropofágicos JÁ!

Acho que a Ana de Hollanda, excelentíssima Ministra da Cultura, pensa nos direitos mais como um pensão para os artistas e herdeiros infinitos…

E o Antônio Palocci e Lars Von Trier com isso?

É uma loucura a tucanisse do bom-mocismo e do politicamente correto que vivemos hj em dia.

qualquer frase fora do contexto vira manchete às inversas! Como no caso do Lars Von Trier que disse numa entreveista ‘I Understand Hitler; I Sympathize With Him a Bit’ num contexto de questionamento e na tentativa de entender melhor o Homem (no sentido geral, não do hitler, claro) e sua história. Sem contar as ironias e provocações que são tipicas de respostas curtas que contém muito conteúdo implícito. E lá foi o Lars expulso de Cannes! Que maluquice!

Outra foi do caso Palocci, que “enriqueceu” 6 milhões em 4 anos. Pera lá!!! A empresa dele faturou 7 milhões em 48 meses… isso dá faturamento de 145mil/mês e pagou todos os impostos. Depois ele deciciu mudar o ramo da empresa, quando foi assumir o cargo de ministro, para que ele mesmo ficasse impedido de continuar dando assessorias, pq isso, sim, seria errado. Portanto a empresa comprou um imóvel para congelar os bens até que ele voltasse a usar a empresa de novo, quando deixar de ser ministro. Qual o problema? Ninguém pode enriquecer? Só pode  enriquecer Executivo gringo de multinacional?!

Ou seja, fez o certo e tá sendo acusado?! Não é nenhum absurdo uma empresa de alto gabarito faturar 150mil! Se ele der 1 palestra por semana, dá pra empresa ter ganho maior que isso… mas o importante é noticia sensacionalista! É ter um Judas pra malhar…

juntando os dois assuntos, Lêdo Ivo + Palocci:

Por conta dessa entrevista do Ivo à Folha, a deputada Manuela D’Ávila, PC do B do RS  “(…) retomou um projeto do hoje ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci (PT-SP) [quando deputado], que objetiva garantir o direito de publicação de imagens e informações biográficas de pessoas com trajetória pública, independentemente de autorização, sem prejuízo do direito a indenização caso se comprove dano a essas pessoas.
Na legislatura anterior, o projeto deixou de ser aprovado em razão do bloqueio por parlamentares que não queriam ver as próprias biografias publicadas. Espera-se que o Congresso Nacional supere essas resistências e fortaleça a democracia brasileira ao aprovar o quanto antes uma atualização do Código Civil, para que o país extirpe de vez todo e qualquer dispositivo de censura prévia de sua legislação.” (editorial da FSP 24/04/11)

(Então tenho que escrever de novo “ou seja”)

(a)Moral da historia:

Ou seja, o deputado Palocci que defende que as histórias do Brasil sejam contadas sem censura prévia está sendo acusado por quem não quer que suas histórias sejam contadas (deputados e senadores ricos) de enriquecer sem contar como enriqueceu.

Só no Brasil, mesmo!

Acho que a única solução, realmente, é melhorar o nível de interpretação de texto das crianças, nas escolas. Enquanto os brasileiros só entenderem uma frase por vez e não conseguirem ler uma lauda e entender o que está escrito, só resta chorar.

Dica pro MEC: Escola fundamental deveria ter apenas essas aulas: Matemática Criativa, Língua Portuguesa e Interpretação e Discussão de assuntos gerais.

Nunca, né? :|