Foi-se

.

Novo clipe do Huaska!

estamos gravando um CD novo que vai sair em janeiro de 2012…

mas a gente conseguiu aprontar uma musica do CD pra lancar antes!!

ta aí:

 

E tenho dito!

=)

Anúncios

“garoto” propaganda de cachaça!

.

Fui, com a Ci, visitar a Expo Cachaça no Mercado Municipal de SP no sábado … mas logo a fotógrafa da Folha me reconheceu como baixista do Dest_lado e pediu para eu ficar ao fundo, degustando a cachaça de Bento Gonçalves (RS) da Casa Bucco, enquanto o gaúcho servia outra dose!

E saiu nessa segunda-feira, no caderno Cotidiano da Folha de São Paulo (foto Letícia Moreira)

e como “todo gaúcho é melhor que brasileiro”, eu tive que provocar o expositor!

_mas Bento Gonçalves não é só famoso por fazer vinhos?

o cara deu uma risada amarela. Eu tomando a cachaça dele e ele se segurando para não pegar a faca da bota:

_ Bah, mas claro que em Bento Gonçalves se faz cachaça muito antes de se fazer vinho!

iuaheiuheiueha

adoro o pessoal do Sul, eles se prendem ao personagem e fazem a festa de quem gosta de tirar sarro. iuaheuihea

mas são gente fina! preciso voltar qq hora naquele país entre o Brasil e o Uruguai… o tal de Rio Grande do Sul…

:)

ótima cachaça, por sinal! recomendada!

e o Dest_lado está em estúdio reformulando o som! se preparem!

:)

Década de 10

.

Já dá pra perceber pipocando mundo afora: A década de 10 é a década da virada. Ou do declínio.

“Existe algo errado acontecendo”

A “Primavera Árabe”, a “Insureição da “”massa”” inglesa”, rebaixamento dos EUA na agência de risco, as manifestações estudantis no Chile…

São os sintomas de: i) um mundo viciado em consumo; ii) a diferença do nível de democracia entre os povos  e iii) o acesso desses povos à informação rápida, graças à internet em gadgets – frutos do próprio consumo globalizado!

E eis abaixo o novo arauto desses dias, botando pra fuder no jornal da BBC, o Dacus Howe, já apelidado de o Pantera Negra britânico:

querendo saber mais sobre ele, a revista Vice já se antecipou: clique AQUI pra ver entrevista com ele.

E sobre essa “revolta inglesa”, tem um ótimo artigo do Clovis Rossi da semana passada que eu dei um jeitinho de disponibilizar AQUI

A palavra-chave agora é crise. Não só econômica. Crises são momentos esporádicos… momentos críticos, de decisão. E nesse caso parece indicar o sentido do colapso.

Colapso da produção, do consumo, da ocupação do espaço, da utilização dos recursos, do modo de vida.

Tá muito claro que o novo sonho da classe média não é mais a casa própria. O sonho agora é morar em um Feudo (vulgo condomínio fechado) e consumir os artigos de ponta, as ultranovidades da tecnologia (ou do marketing): a criação de necessidades que antes nao haviam.  Esse é o sinônimo de felicidade, nesse começo de década.

Por acaso você precisa trocar um celular por outro de 6 em 6 meses? Ou a industria é que está criando alguma novidade para que os milhões de trouxas, como eu, achem aparelho atual obsoleto e troquem por um novo? Afinal, se todos no mundo tiverem um celular só para falar com o vizinho, a fábrica fecha.

o Colapso significa que o “mundo moderno” pede para que as pessoas sejam mais egoístas… e isso é insustentável.

o egoísmo-coletivo é o contrario do progresso.

mas é isso que aumenta as vendas e dá dindin!

E agora?

Eu troco 500km de trem-bala por 5000km de trem normal!

.

Alô, Dilma!

Estamos em um dos únicos países do mundo que não tem trem de passageiro!

Depois de décadas de sucateamento, passando por absurdos no Ministério dos Transportes, que é óbvio que jogou as ferrovias nacionais nas mãos das grandes mineradoras e do agronegócio, reduzimos as viagens de Trem a praticamente ZERO!

Blue Train, na África do Sul. Vai, Brasil, não é tão impossível assim!

Quando digo “Trem de Passageiro” não estou falando de passeios turísticos de trem! Estou falando de  transporte de gente dum lado pro outro. “Passeio em trem antigo pra ver a serrinha com almoço incluso” pra mim é parque de diversão! nostalgia. To falando de por as malas num vagão e ir pra outra cidade ou Estado, porra! =)

“É importante saber que não existem mais trens de passageiros regulares no Brasil, com apenas duas exceções (os trens da Vale do Rio Doce, Belo Horizonte-Vitória e São Luiz-Carajás) e dos trens metropolitanos de algumas capitais (…)” no site http://www.estacoesferroviarias.com.br

Cadê o PAC da Ferrovia?!?!

o Brasil deveria ter pelo menos uma Ferrovia que ligasse o Norte ao Sul, passando por Brasília e pelo menos 5 entroncamentos ligando interior ao litoral, apenas para passageiros.

E não priorizar ainda mais a ligação do eixo rio-sp via trem-bala!  Para acelerar o desenvolvimento do Brasil, seria muito bem-vindo o fluxo de pessoas… e logística em geral rodando Brasil afora!

Nossa, me lembro de ir de trem com meus avós de SP até Nova Granada, praticamente em Minas Gerais… e tinha beliche! :)

Quem é dono das ferrovias?

ahhhhh…. Eu troco as obras da Copa para construir essa ferrovia!

E na verdade nem precisa construir muitas ferrovias… o que precisa é recupera-las e retomar das mãos das grandes empresas! Como podemos ter deixado elas virarem “donas” dos trilhos???

Nesse post o camarada cita que temos mais de 28.000 km de malha ferroviária!

E que as ferrovias foram privatizadas e funcionam por concessões.

Acho que está na hora de termos de volta o que é nosso!

Mas já estaria de bom tamanho trocar essa merda de trem-bala por uma ferrovia convencional, pelo mesmo preço!  O trem-bala é trocar 6 por meia-dúzia a ponte aérea que funciona perfeitamente e que nao tem um preço muito alto. Aliás, diziam que a passagem rio-sp de trem-bala seria no mesmo valor da ponte aérea, para nao prejudicar as companhias… absurdo!

Então vamos a nova pseudo-campanha:

“Eu troco 500km de trem-bala por 5000km de trem normal!”

Não preciso ir longe pra dar exemplo… A Bolívia tem trens de passageiros, com composições e vagões desde ultra-populares até de alto luxo, com jantares na base de velas e vinhos… sem querer desmerecer os hermanos, claro!

Caso uma crise braba a longo prazo venha aí, investir em turismo doméstico, depois de elevar grande qtde da população à classe media, pode ser uma boa ideia! Vamos retomar as Ferrovias!

O certo seria invocar os Ecobobos, afinal é um transporte muito mais ecológico e sustentável que infinitos veículos rodoviários. E eles tem mania de formar exércitos de convencimento, como tá na moda o GreenPeace e afins na Av. Paulista… Mas é claro que eles não pensam nisso… só querem aporrinhar tentando vetar alguma hidrelétrica ou me enchendo pra nao comer mais bife.

Mas também, num país com um dos maiores potenciais turísticos do planeta, o Ministério de Turismo teve um corte no orçamento absurdo em 2011. E o Ministério dos Transportes, além de ter um orçamento enorme, é um dos mais sujos…

tamo a pé ou de trem?

e assim começa a Roda de Rock…

.

Rock? Samba? Metal? Bossa? hein?!

No Pain, No Gain!

dois dias inteiros de gravação para lançar (em muito breve) o divisor de águas do Huaska!

e eu pagando de paga-pau, claro!, no estúdio do Adair Daufembach. :) tá ridículo, eu sei….

mas porra, 3 dos amps mais fodas, que deixaria qq guitarrista do mundo tranquilo. De cima pra baixo:

– Marshall JCM900

– Mesa Dual Rectifier

– Peavey 5150 II

As caixas usadas pra empurrar também muito fraquinhas: Marshall 1960A e Marshall 1960 Dave Mustaine Signature.

Ou seja, vem porrada por ae!

 e aqui o xarope gravando… ou tentando fazer a palhetada perfeita…

iuaheuieaiuhea

tocando numa Gibson King V de um camarada que eu ainda preciso agradecer pessoalmente, pq tirou um puta som.

foda foi precisar tocar sentado com essa porra… eu prefiro tocar de pé… e essa guita é péssima pra apoiar na perna… to com a coxa doendo até agora..

iuaheuieha

e ainda por cima usar outra afinação e tb tocar com uma intensidade que nunca toquei…

eu nunca tinha tocado em uma gibson ou outra guita com esse tipo de ponte… deu pra cansar… mas deu certo!

:)

e como não bastasse mandar peso, aqui vem a prova de que o som do Huaska mandou chamar o samba:

guitarrista do barulho, na tela, tocando tamborim até estourar o couro!

:)

Se esperar um pouquinho, vc vai ouvir a malandragem que saiu dessa gravação!

ahhhhh, e gravação tinha que ser no dia…. Dia do Rock!!!

ou como diria o Gabriel Thomaz: RRRRRRRRRRRRRRRRRRRock!

O Sul…

.

… nunca mais falo mal de banda pop… fui no show do Television ontem no Beco 203 e acabei me impressionando foi com o show do Pública, banda gaúcha… porra, eles deveriam fazer um CD mais rock! pq o show é fodíssimo!

eu já tinha baixado o ultimo CD deles faz um tempão e vira e mexe cai no random do iTunes… mas nunca tinha ido a um show… mto boa banda do sul

e hj vai ter show do DeFalla e Beijo AA Força (PR) em sp… acho que eles tão invadindo! “Fora do Eixo” porra nenhuma, quem ta articulado pra invadir SP são os sulistas!

aí comecei a pensar que o pessoal de sp não aceita muito bem as coisas vindas do sul pq…. são melhores?!

Talvez.

O próprio Beco 203 é uma filial de uma casa noturna de Porto Alegre, capital daquele país entre Brasil e Uruguai… e na verdade é um bunker da cultura do Sul em Sp.

Quem tá acostumado a baladas de SP, sabe como o público é (mal) tratado nas casas paulistas… e nisso o Beco deu uma lição européia ontem!

– Os seguranças pareciam guias turísticos na fila, de tão gentis. “É sim, é só aguardar e você já entra. Boa diversão!” me disse depois que perguntei se a fila era a mesma pra quem tinha comprado ingresso pela internet.

– Lá dentro, na chapelaria, vi uma cena digna de banco suíço (como se eu ja tivesse ido pra Suiça… rs). A “chapeleira” iuaheuieha pegou minha mochila, lacrou num saco branco com um lacre numerado, arrancou um teco do lacre com o número e colou ao meu cartão de consumação e disse “Obrigada, Carlos”.

mas a maior surpresa foi no caixa e tive que elogiar “cara, vcs tão de parabéns. vcs tinham que ser do Sul mesmo, não é possível!”, quando:

– Fui pagar a conta com cartão de débito. Achei estranho uma fila tão grande para tamanha organização. O cara me perguntou se eu não tinha outra forma de pagamento… e eu não tinha. O caixa disparou sem dó: “O sistema de cartões está fora do ar… eu vou pendurar a sua conta e você paga da próxima vez que vier. Tome seu ticket para a saída, obrigado.”

resumindo, os caras são foda!

preciso ir pra Porto Alegre conhecer de perto essa cultura alienígena… iuheuiehiueha

Como disse o Adair Daufembach numa conversa sobre gravação do novo CD do Huaska que ele vai pilotar: os gaúchos são foda pq eles curtem muita música e em geral música com conteúdo . Acho que é por isso que eles curtem Huaska.

Realmente, os gaúchos valorizam o que é autêntico e por isso tem tanta banda do sul que vive de música por lá e praticamente nao chega a SP… como no caso do Nenhum de Nós, que praticamente nao existe no eixo rio-sp, mas que é headliner de festivais de lá…

e que outro estado (ou nação iuheuieha) tem um site com suas bandas??

se liga:

http://www.rockgaucho.com.br/

e em sp? tem banda de rock? qual? tem nada…

e como to falando disso, vou ter que postar o CD do pública:

ouvindo: Pública – Como num filme sem um fim

 falei que seria legal se eles fizessem um CD mais rock… mas to achando que mudei de ideia… por dois motivos:

– esse CD é o que me garante que pop no Brasil ainda pode ser foda

– se eles fizessem um cd mais pesado, ia ficar dificil pras outras bandas alcancarem… iuaheuiehuiea

(clique na capinha para baixar o CD)

outras bandas importantes do Sul que pouca gente conhece em SP:

Acústicos & Valvulados,  Walverdes, Papas na Língua, Ultramen, Relespública, Comunidade Nin-Jitsu, Apanhador Só, Reação em Cadeia, Chimarruts, Bidê ou Balde, Pata de Elefante, Tequila Baby, Sabonetes, Aerocirco, Superguidis, Pipodélica, Vera Loca, Graforréia Xilarmonica, TNT, Copacabana Club, Nevilton

Chile, Salvador e um bar?!

.

… aí decidi ir pra Santiago do Chile… e por causa de um vulcão que fica fumando, meu voo  foi cancelado! A gente, com cara de idiota, no aeroporto de Guarulhos!

Esse é o problema de comprar pacotes turísticos… e eu pensando em comprar roupas em Buenos Aires… que pobreza! iuaheuihuea

calma, volta pra casa e pensa!

 tem algum voo barato na net pra, hã, agora?

tem sim!

Salvador ida e volta por menos de 400,00…. detalhe? Avião sai daqui a 2h, de Campinas…

Corre!!!

trocamos o frio dos Andes pelo calor do “inverno” da Bahia! e o calor das pessoas, que é o principal!

2 dias em salvador, chegando a noite e indo direto pra festa de São João no pelourinho!

2 dias pra conhecer costa dos coqueiros, Subauma, cidade do lado de Sauípe que nao pega celular, e que a “guia” da pousada acaba de sair do hospital psiquiatrico, internada por uso de drogas… digno de Bicho de 7 cabeças… uma queridisse de pessoa. E pra conhecer a dona da pousada, a dona Didi, que é a mãezona do nordeste. Manda e desmanda até em hóspede e ponto final! :) além de ser a melhor comida da viagem (e a mais barata) também é onde se entende o povo baiano na essência!

 

 

… volta pra Salvador pra mais 2 dias… e muda passagem de volta pra conhecer o Morro de São Paulo… lugar foda, principalmente em baixa estação…

e volta pra SP pra perceber que em pouco tempo da pra fazer tanta coisa… que ainda estou lá!

o melhor é imaginar: como pode uma viagem que era pra ser apenas praia e frutos do mar se transformar numa viagem mais antropológica que 1 mês na Índia? (quer dizer, até eu conseguir ir pra Índia, claro… iuhaeuieha)

e em SP as coisas ficam diferentes… os problemas de antes parecem menores… ou outros…

e se tudo der errado, vendo meus pedais de guitarra e compro esse lugar da foto…

porque, dando umas voltas pra conhecer melhor SP, num fds, vc pode descobrir, numa Aclimação da vida, um lugar como esse:

iuauiehiuehuea

e vai falar que Dom Quixote nao existe?!

:P

Gotcha!

.

iuhaeiuhea

pow, eu tava dirigindo na rua Treze de Maio e vi um carro da Google tirando foto de mim!

:)

Catei o cel e tirei uma foto dele tb… cacete!!!

foi embaixo do viaduto Armando Puglisi, cruzamento da Brig Luis Antonio com a Treze de Maio.

e já que o Post tem o nome de um dos filmes clássicos dos anos 80, o Gotcha! – Uma arma do barulho,  aqui vai o CD  dele pra baixar:


Essa trilha tem bandas ultra-famosas, como: Camelflage, Giuffria, Hubert Kah… iuhaeiuhea mas tb tem Joan Jett & The Blackhearts e Bronski Beat! :)

eu lembro que gostava desse filme quando era pequeno iuaheuiehuiahe

Gotcha (“te peguei” em ingles) tem esse nome ridiculo pq é sobre uns muleques nerds que brincavam de paintball na cidade, e a ideia era sempre andar “armado”, na escola, rua, trabalho e acertar outro imbecil de surpresa e gritar Gotcha!

o paintball ainda desconhecido na epoca do filme e acho que ele ajudou a popularizar…  todo muleque sonhava em ter uma arma dessas uiaheuihea

(clique na capa do “filmão” pra baixar a trilha sonora de Gotcha!)

Dificultar é proibir!

.

De novo e na sequência, vou ter que postar sobre outra entrevista que saiu na Ilustrada dia 19/04/11…

Não que eu fique babando pela Folha de SP, mas ou é coincidencia ou realmente tão mandando bem em algumas entrevistas nesse caderno.

Lêdo Ivo

.

.

pra quem não conhece, Lêdo Ivo é um imortal da Academia Brasileira de Letras. Eu ateh pediria perdão a eles por escrever errado e sem acento, mas veja bem… Sarney e Paulo Coelho nas cadeiras da ABL nao da, né?

.

“Se eu quiser publicar uma foto do Barack Obama, eu posso. Do [Manuel] Bandeira, eu tenho que pagar”

(sobre ser impedido de usar alguma foto de Manuel Bandeira na sua biografia, que foi amigo dele por muitos anos, pelo sobrinho-neto de Bandeira)

e depois:

Ele foi meu amigo durante 30 anos e o curioso é que nunca conheci nenhum parente dele. Fomos vizinhos em Teresópolis, e nunca apareceu ninguém.”

Não sou fã nem leitor do Ivo, mesmo porque não sei muito sobre ele.  Mas sei que é uma pessoa que não se cansa por pensar e é razoavelmente preocupado com o coletivo. Além de ver as questões do mundo com muita clareza e saber ser crítico no que importa, tem um certo humor e ironia em suas análises.

outros trechos da entrevista:
(vc pode baixar ela inteira aqui)

“Acho que só deveriam herdar os descendentes diretos. Se o escritor tivesse filhos, os filhos herdariam.”

“O senhor acha que a lei deveria mudar?
Acho que é preciso uma legislação moderna que discipline tudo isso. Por que eu devo pagar à família por fotos em que estou ao lado do Bandeira? Você recebe cartas, mas não é dono destas, elas pertencem à família. É uma legislação maluca.”

“(…)Outro problema é o da biografia. (…)
Acho que a família não quer que estes fatos venham à público. Mas é um negócio de louco. Uma biografia autorizada não é uma biografia, pois atende às conveniências da família. E a verdadeira biografia, que poderia servir à compreensão do leitor, está proibida no Brasil.”

Direitos Autorais

É isso! Tem que rolar uma revolução nos Direitos Autorais no Brasil!

Algo que permita citações, colagens, remixes, referências, interpretações, biografias, documentários!

Esse mix é a alma do Brasil: Direitos Autorais Antropofágicos JÁ!

Acho que a Ana de Hollanda, excelentíssima Ministra da Cultura, pensa nos direitos mais como um pensão para os artistas e herdeiros infinitos…

E o Antônio Palocci e Lars Von Trier com isso?

É uma loucura a tucanisse do bom-mocismo e do politicamente correto que vivemos hj em dia.

qualquer frase fora do contexto vira manchete às inversas! Como no caso do Lars Von Trier que disse numa entreveista ‘I Understand Hitler; I Sympathize With Him a Bit’ num contexto de questionamento e na tentativa de entender melhor o Homem (no sentido geral, não do hitler, claro) e sua história. Sem contar as ironias e provocações que são tipicas de respostas curtas que contém muito conteúdo implícito. E lá foi o Lars expulso de Cannes! Que maluquice!

Outra foi do caso Palocci, que “enriqueceu” 6 milhões em 4 anos. Pera lá!!! A empresa dele faturou 7 milhões em 48 meses… isso dá faturamento de 145mil/mês e pagou todos os impostos. Depois ele deciciu mudar o ramo da empresa, quando foi assumir o cargo de ministro, para que ele mesmo ficasse impedido de continuar dando assessorias, pq isso, sim, seria errado. Portanto a empresa comprou um imóvel para congelar os bens até que ele voltasse a usar a empresa de novo, quando deixar de ser ministro. Qual o problema? Ninguém pode enriquecer? Só pode  enriquecer Executivo gringo de multinacional?!

Ou seja, fez o certo e tá sendo acusado?! Não é nenhum absurdo uma empresa de alto gabarito faturar 150mil! Se ele der 1 palestra por semana, dá pra empresa ter ganho maior que isso… mas o importante é noticia sensacionalista! É ter um Judas pra malhar…

juntando os dois assuntos, Lêdo Ivo + Palocci:

Por conta dessa entrevista do Ivo à Folha, a deputada Manuela D’Ávila, PC do B do RS  “(…) retomou um projeto do hoje ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci (PT-SP) [quando deputado], que objetiva garantir o direito de publicação de imagens e informações biográficas de pessoas com trajetória pública, independentemente de autorização, sem prejuízo do direito a indenização caso se comprove dano a essas pessoas.
Na legislatura anterior, o projeto deixou de ser aprovado em razão do bloqueio por parlamentares que não queriam ver as próprias biografias publicadas. Espera-se que o Congresso Nacional supere essas resistências e fortaleça a democracia brasileira ao aprovar o quanto antes uma atualização do Código Civil, para que o país extirpe de vez todo e qualquer dispositivo de censura prévia de sua legislação.” (editorial da FSP 24/04/11)

(Então tenho que escrever de novo “ou seja”)

(a)Moral da historia:

Ou seja, o deputado Palocci que defende que as histórias do Brasil sejam contadas sem censura prévia está sendo acusado por quem não quer que suas histórias sejam contadas (deputados e senadores ricos) de enriquecer sem contar como enriqueceu.

Só no Brasil, mesmo!

Acho que a única solução, realmente, é melhorar o nível de interpretação de texto das crianças, nas escolas. Enquanto os brasileiros só entenderem uma frase por vez e não conseguirem ler uma lauda e entender o que está escrito, só resta chorar.

Dica pro MEC: Escola fundamental deveria ter apenas essas aulas: Matemática Criativa, Língua Portuguesa e Interpretação e Discussão de assuntos gerais.

Nunca, né? :|

Richard Rogers – quanto mais misturado, melhor!

.

ontem saiu na Ilustrada uma entrevista com o arquiteto Richard Rogers, que está em SP e veio ao Brasil para rascunhar  obras para a prefeitura e tb para obras do RJ para a copa…

mas como pessoa grande que é, falou mais de urbanismo e sociologia urbana do que de obra de estádio…

Richard Rogers é um garoto de 81 anos (criança, perto do arquiteto Oscar Niemeyer, de 103, rs) e esquerdista como o colega brasileiro.

Quando li, na verdade, nao sabia quem era o cara, mas ja admirava a obra dele…

fiquei de queixo caído quando cheguei no terminal 4 do aeroporto de Barajas, em Madri, e desde então sempre fiz muitos elogios, mesmo sem saber quem tinha inventado aquilo tudo…

é sempre bom descobrir que quem fez algo que voce gostou muito é uma pessoa melhor do que voce imaginava…

não vou postar a entrevista inteira, mas vou por um link para voce poder ler, aqui . Não é muito grande ;)

mas vou citar alguns trechos que alinho total:

habitação:

“O problema de pobres e ricos no Brasil é igual ao que existia nos EUA. Cidades não podem ter guetos, seja para negros ou pobres”, quando perguntado o que fazer quando ricos não querem pobres por perto, logo depois de ter dito que deve-se misturar moradias de ricos e pobres: “Uma área só para ricos contraria a ideia de cidade.”

transporte:

“Quanto mais estradas [avenidas] você abre, mais congestionamentos você terá”
“É inacreditável que em São Paulo as pessoas aceitem andar de carro a 10km/h. A pé é mais rápido.”

urbanismo:

Como uma cidade faz para term mais espaços públicos?

“Precisa ter parques em todos os distritos. (…) Um dos segredos é controlar as forças do mercado”

política pública de recuperação:

O governo de SP tenta recuperar uma área degradada, a Luz, com museus e salas de concerto. Isso funciona?

“Não. Você precisa de usos mistos para recuperar uma área. Não faz sentido uma área só com shopping ou escritórios. Os governos estão fascinados com museus, mas só isso não funciona.
Meu escritório fica numa área de Londres onde as pessoas não podiam ir há 15 anos de tão perigosa que era. Hoje é uma das melhores áreas de Londres. Isso ocorreu porque há escritórios, moradias e museus. “Quanto mais misturado, melhor.”

está dito.

;)