Archive for the ‘luis felipe pondé’ Tag

“Eu faço o bem… pra quem?”

.

a pedido da Célia Helena to postando (emprestado) um texto do Luis Felipe Pondé, sobre “Autoritarismo escondido”, que acho que tem muito a ver com o momento. Qual seja o momento: a guerra surda, dicotômica, entre internautas (ou não). Esse Grêmio vs Inter, Judeu vs Islamita, Tucano vs Petista, enfim, coisas de extremistas com tapa-olhos de cavalos.

e que geram coisas do tipo: “se eu tomo multa de transito sem razão, a PM tem que descer borracha em quem faz algo pior que eu”, “o Lula que se foda e vá se tratar no SUS”, “pena de morte pq a prisão tá cheia”, etc… todos bem intencionados para com a sociedade em que vivem, claro…

 

o texto, se bem lido (e de cabeça aberta), pode vir seguido de uma auto-reflexão.

É duro lembrar de algum episódio no qual você se reconhece como protagonista do texto. Mas é isso… faz parte da natureza humana. Que bom que sou alien… :P

 

O texto do Pondé saiu na Folha de SP, dia 18/07/11

“A tentação totalitária 


Primeiro vem a certeza de si mesmo como agente do “bem total”, depois você vira autoritário em nome dele


VOCÊ SE considera uma pessoa totalitária? Claro que não, imagino. Você deve ser uma pessoa legal, somos todos.
Às vezes, me emociono e choro diante de minhas boas intenções e me pergunto: como pode existir o mal no mundo? Fossem todos iguais a mim, o mundo seria tão bom… (risadas).
Totalitários são aqueles skinheads que batem em negros, nordestinos e gays.
Mas a verdade é que ser totalitário é mais complexo do que ser uma caricatura ridícula de nazista na periferia de São Paulo.
A essência do totalitarismo não é apenas governos fortes no estilo do fascismo e comunismo clássicos do século 20.
Chama minha atenção um dado essencial do totalitarismo, quase sempre esquecido, e que também era presente nos totalitarismos do século 20.
Você, amante profundo do bem, sabe qual é? Calma, chegaremos lá.
Você se lembra de um filme chamado “Um Homem Bom”, com Viggo Mortensen, no qual ele é um cara legal, um professor universitário não simpatizante do nazismo (o filme se passa na Alemanha nazista), e que acaba sendo “usado” pelo partido?
Pois bem. Neste filme, há uma cena maravilhosa, entre outras. Uma cena num parque lindo, verde, cheio de árvores (a propósito, os nazistas eram sabidamente amantes da natureza e dos animais), famílias brincando, casais se amando, cachorros correndo, até parece o Ibirapuera de domingo.
Aliás, este é um dos melhores filmes sobre como o nazismo se implantou em sua casa, às vezes, sem você perceber e, às vezes, até achando legal porque graças a ele (o partido) você arrumaria um melhor emprego e mais estabilidade na vida.
Fosse hoje em dia, quem sabe, um desses consultores por aí diria, “para ter uma melhor qualidade de vida”.
E aí, a jovem esposa do professor legal (ele acabara de trocar sua esposa de 40 anos por uma de 25 -é, eu sei, banal como a morte) o puxa pelo braço querendo levá-lo para o comício do partido que ia rolar naquele domingão no parque onde as famílias iam em busca de uma melhor qualidade de vida.
Mas ele não tem nenhuma vontade de ir para o comício porque sente um certo “mal-estar” com aquilo tudo. Mas ela, bonita, gostosa, loira, jovem e apaixonada (não se iluda, um par de pernas e uma boca vermelha são mais fortes do que qualquer “visão política de mundo”), diz: “meu amor, tanta gente junta querendo o bem não pode ser tão mal assim”.
É, meu caro amante do bem, esta frase é uma das melhores definições do processo, às vezes invisível, que leva uma pessoa a ser totalitária sem saber: “quero apenas o bem de todos”.
Aí está a característica do totalitarismo que sempre nos escapa, porque ficamos presos nas caricaturas dos skinheads: aquelas pessoas, sim, se emocionavam e choravam diante de tanta boa vontade, diante de tanta emoção coletiva e determinação para o bem.
Esquecemos que naqueles comícios, as pessoas estavam ali “para o bem”.
Se você tem absoluta certeza que “você é do bem”, cuidado, um dia você pode chorar num comício achando que aquilo tudo é lindo e em nome de um futuro melhor.
E se essa certeza vier acompanhada de alguma “verdade cientifica” (como foi comum nos totalitarismos históricos) associada a educadores que querem “fazer seres humanos melhores” (como foi comum nos totalitarismos históricos) e, finalmente, se tiver a ambição política, aí, então, já era.
Toda vez que alguém quiser fazer um ser humano melhor, associando ciência (o ideal da verdade), educação (o ideal de homem) e política (o ideal de mundo), estamos diante da essência do totalitarismo.
O que move uma personalidade totalitária é a certeza de que ela está fazendo o “bem para todos”, não é a vontade de destruir grupos diferentes do dela.
Primeiro vem a certeza de si mesmo como agente do “bem total”, depois você vira autoritário em nome desse bem total.
O melhor antídoto para a tentação do totalitarismo não é a certeza de um “outro bem”, mas a dúvida acerca do que é o bem, aquilo que desde Aristóteles chamamos de prudência, a maior de todas as virtudes políticas.
Não confio em ninguém que queira criar um homem melhor. “

Anúncios

faça xixi na rua!

.

que absurdo!

a imbecilidade chegou perto do ápice!

existe uma campanha, para crianças, no canal Cartoon Network, Faça xixi no banho: Salve a Mata Atlântica!

que coisa patética!

vou escapar do tema principal (1),  que é essa alienação politico-ecologica para criancas,  pra falar de duas coisas que tem a ver, (2 e 3) e voltar depois ao Xixi:

(2) Li nessa semana uma entrevista na revista Época que me deixou feliz… quer dizer… deixa qq um triste, mas me deixou feliz por nao ser o unico Joselito a pensar algo assim…

A chamada da entrevista é A Humanidade é bipolar e vc pode le-la aqui

nao sei voce, mas eu tenho flutuações de humor muito grandes… quando estou euforico, cabeça a milhao, feliz e criativo, ja fico com medo… sei que vem uma curta depressão em breve… ja dou um jeito de ir andar com ipod, comer chocolate amargo, abrir um vinho, ler algo legal, enfim… bipolaridade. No caso do mundo, a depressão seria, por exemplo, uma crise economica fulgaz, como essa… ou por exemplo o panico com uma gripe tao letal quanto a gripe normal. E a euforia… bem… vc ja viu como o mercado está aquecido, né? :)

sei que esse sujeito, Wolfgang Sperling, acertou na mosca (pelo menos ta afinado com o que eu penso): A crise mundial e Gripe Suína são frutos de desespero eufórico coletivo.

Nunca antes na história desse planeta houve comunicação instantânea como há hoje. Voce, que teve aulas sobre globalizacao nas aulas de geografia, na escola (como eu), se lembra de tentar responder alguma questão de prova:

“A globalização é um fenomeno complexo. Cite as principais caracteristicas economicas, politicas e sociais.”

o menino decorava algo da aula e escrevia qq baboseira sobre livre comercio, taxas, etc…

mas pouca gente pensou no que pode acontecer com a Euforia Imbecilizante Coletiva… fruto de msn, twitter entre outras coisas que rompem continentes em menos de segundo.

(3) pra nao entrar em detalhes e argumentacoes bestas que eu sempre faço, ja pulo para um texto do Luis Felipe Pondé, na Ilustrada da ultima segunda, onde ele xavasca criticamente o filme 2012, mas fala, principalmente, sobre o que me irrita a cada dia mais, o que eu chamo agora de CPC, a Cegueira Politicamente Correta. ótimo trecho desse artigo:

“(…) “2012” acrescenta a palhaçada do politicamente correto. Isso sim é o fim do mundo.
Leitores me perguntam por que essa palhaçada me irrita tanto. Respondo: porque é coisa de retardado.
Nós não vamos morrer todos afogados em grandes ondas do mar, nem em labaredas vulcânicas, nem com a gripe da porca (H1N1). Nosso espírito sim vai sufocar sob a bota do fascismo retardado do politicamente correto.”

(Luiz Felipe Pondé – Ilustrada de 23/11/09 – “2012 Retardados”)

O ideal seria que em 2012 toda essa onda de extremismo do politicamente correto chegue ao fim!
que os pais voltem a dar espuminha da cerveja pro filho(a), dizendo “esse é macho!” (ou melhor: “essa é macha!”) :)
Fumar em local fechado é questao de Saúde Publica… gasta-se muito dinheiro de cofres publicos com tratamento no SUS. fora isso, tem que ser permitido que se fume tabaco ou maconha em companhia de quem queira.

Mas eu sei o que vai acontecer! Vamos chegar ao limite da idiotice absoluta, daqui uns anos, e vai haver uma revolucao cultural/comportamental chamada Pós-Neo-Naturalismo! Abaixo o politicamente correto!

Nesse dia encherei a cara  e sairei dirigindo para comemorar!

– as crianças voltarao a engatinhar no chao, entrando em contato com “germes” e vao voltar a comer terra e tatu-bola;
– as pessoas vão parar de se atormentarem com o aquecimento global e vao perceber que importante é votar bem e ter uma participacao descente nas decisoes dos seus povos;
-os ecobobos entenderao que matar baleias para comer e/ou como forma de expressao cultural, no japao e nos paises escandinavos é algo completamente compreensivel e natural;
– os Vegetarianos-fundamentalistas vao parar de encher o saco e entender que só são o que são porque seus ascendentes comem bichos

e um monte de outras felicidades vindas de algum espirito hippie vai voltar a fluir… talvez uma sabedoria indigena nos ilumine nesse caminho, vai saber…

MAS O IMPORTANTE É VOLTAR AO XIXI!!!

claro que eu nao ia terminar sem descer a lenha nessa campanha terrorista que ja cria na cabeça das criancas o horror de serem responsáveis pela destruiçao de um planeta (q, como sempre falo, está muito longe de ser destruído! vamos sumir em algumas centenas de anos e o planeta ainda tem bilhoes de anos pela frente… e com vida!)

veja se é razoável:
voce salvará a Mata Atlântica se economizar agua* da descarga de um xixi (12 litros, segundo a campanha) fazendo o dito xixi no banho.

agora imaginem, nobres (e raros) leitores, uma criança de 5-10 anos se concentrando, preocupada com o “meio ambiente”, para fazer xixi no banho. ela demora pelo menos 2 min nessa brincadeira… brincadeira em que esta jorrando a tal da agua e sendo aquecida por 5000W de chuveiro… vamos ver se eu entendi… o idiota do Publicitario que inventou a campanha quer bolar algo para o Cartoon Network ser ecologicamente responsavel, independentemente de fazer algo sensato… e alarmando cada vez mais futuros quase-pensadores…

claro que eles colocaram no FAQ do site: apenas lembre-se de fazer o xixi logo no inicio do banho.

ah, ta bom… até parece.
só falta falarem pra nao tomar banho e nao darem descarga… aih a criançada pula feliz!!

socorro! chamem o Al Gore! pelo menos ele é cara de pau!

fui!

ahhh, to resfriado de novo… deve ser a terceira vez nesse ano… vamos ver se todos se imunizam logo com essa gripe nova para esquecermos esse assunto de panico! :)

e pra fuder cada vez mais o “planeta”, vou mijar na privada, mas com o chuveiro ligado, claro! ;)

:*

* (só pra lembrar que a água nao está acabando… e nunca vai acabar! a vida continua, pq a chuva nunca para – enquanto tiver Sol. O que falta é agua estocada para uma quantidade cada vez maior de pessoas… ahhh, por pessoa entenda: Ser Humano, uma única espécie que domina toda a água…)